A ligação entre temperatura e umidade dos ambientes com IoT

  • por
É possível monitorar a temperatura e a umidade dos ambientes com dispositivos inteligentes, que ajudam na climatização do espaço.

A temperatura afeta o nosso organismo e existe uma faixa considerada ideal para as pessoas se sentirem confortáveis e produtivas. Ultrapassar essa faixa pode trazer desconforto e prejudicar as habilidades físicas e mentais das pessoas.

Ao deixar a temperatura de um cômodo muito baixa, pode-se aumentar o risco de mofo, pois o ar frio transporta vapor d’água no espaço, aumentando assim a quantidade de gotículas condensadas nos móveis, paredes e outras superfícies.

A umidade refere-se à quantidade de vapor de água presente no ar. O vapor de água pode estar no estado gasoso e é invisível ao olho nu. A medida de umidade é dada em porcentagem e descreve a umidade relativa em um quarto. Todos os seres vivos dependem da transpiração para regular suas temperaturas corporais e o aumento da umidade afeta esse processo, reduzindo a taxa de evaporação da umidade da pele.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), uma temperatura confortável para um ambiente ideal é que esteja acima de 18ºC. Confira as variações de temperatura corretas: 

– 21 a 26ºC: Essa é a faixa ideal para a ocupação humana. É considerada uma faixa confortável, embora indivíduos específicos prefiram uma temperatura um pouco acima ou abaixo. Alguns estudos concluíram que 25ºC é a melhor faixa para manter a produtividade, enquanto a temperatura ideal para uma noite de sono é 22ºC.

– 10 a 21ºC: Nessas temperaturas, o corpo começa a sentir desconforto devido ao frio. A pessoa pode começar a tremer e sentir sonolência. Algumas delas devem também experimentar uma respiração ofegante e apresentar problemas ao caminhar. Abaixo de 12ºC elas podem sentir dificuldade de dormir, enquanto outras pessoas podem experimentar problemas de respiração e ter suas habilidades motoras e reflexos afetados, bem como a habilidade de responder a estímulos. É possível, também, perder a consciência se isto causar a queda da sua temperatura corporal interna. Abaixo de 4ºC, algumas pessoas podem experimentar hipotermia, mesmo dentro de casa, resultando em sérias condições de saúde.

– 26 a 40ºC: Essa faixa provoca desconforto e pode causar problemas de concentração.
Se ela estiver muito alta, é possível se ter ondas de calor e exaustão, e a maioria das pessoas acabam evitando realizar muitas atividades para manter sua temperatura corporal mais baixa. Temperaturas extremamente altas, acima de 54ºC, são perigosas e podem resultar em dores de cabeça, uma séria condição que é provocada pelo aumento da temperatura corporal interna e pode resultar em perda de consciência e até mesmo falência dos órgãos internos.

Ao falar de umidade, é necessário evitar deixar roupas molhadas ao ar livre e manter um cesto com cobertura ou tampa para evitar a liberação de umidade antes do dia de lavar roupa. O ar condicionado seca o ar e remove a umidade. Como alternativa, o aumento da temperatura pode também reduzir a umidade, já que as temperaturas mais quentes tendem a acompanhar a baixa umidade. Confira a faixa correta de variação da umidade do nosso ar: 

– 30 a 50%: A faixa ideal de umidade está entre 30% e 50%. Manter a umidade abaixo de 50% previne a infestação de ácaros, mofo, bolor e ajuda a controlar a propagação de bactérias. Níveis de umidade mais baixos reduzem a emissão de compostos orgânicos voláteis (VOCs).

– 10 a 30%: A baixa umidade, que ocorre durante os meses de inverno, pode ressecar a pele, irritar a garganta e provocar coceira nos olhos. A pele pode ficar seca e se tornar escamosa, além de piorar ou desencadear condições como eczemas. Vírus como o da gripe também podem durar mais tempo e sobreviver no ambiente por períodos maiores de tempo quando a umidade está baixa. Ela também pode causar danos aos móveis de madeira, causando encolhimento, empenamento e surgimento de lacunas.

– 50 a 100%:  A umidade elevada causa condensação do ar em sua casa e manchar paredes, tetos e móveis. Também é um fator de alto risco para fungos, que podem causar odor e problemas respiratórios. Grandes períodos de elevada umidade podem levar ao apodrecimento e danos estruturais. A umidade elevada pode também provocar reações alérgicas e trazer problemas para pessoas que sofrem de doenças respiratórias.
A umidade acima de 70% aumenta o nível de gotículas na casa. Bactérias e ácaros florescem em ambientes úmidos e molhados. Também pode levar a alergias e a ataques de asma.

Como a temperatura e a umidade se encontram diretamente com a Internet das Coisas? 

É possível monitorar a temperatura e a umidade dos ambientes com dispositivos inteligentes. Apenas pelo celular você pode tomar decisões inteligentes para garantir o seu bem estar. Ter essas informações na palma de sua mão, ajuda a manter a climatização do seu espaço sempre adequada.

Dentro da linha e-Comfort você encontra o sensor de temperatura e umidade. Com ele é possível criar regras e cenários que combinem outros dispositivos inteligentes, como o nosso Smart Plug, para ligar um umidificador ou um ar condicionado de acordo com as condições do ambiente. Você tem a possibilidade de verificar o status do seu sensor e controlar o Smart Plug através da Alexa. 

Esse foi mais um texto aqui no Blog do Pixel voltado para a sua saúde. Acompanhe nosso blog e nossas redes sociais como o Facebook, Instagram e LinkedIn para mais conteúdos que o ajudem diariamente! 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *